Aposentadoria

31 Mar

Sinto-me sufocada, uma angústia no peito, um vazio dentro da alma, não sei como suportar a vida sem compromisso, sem obrigações sérias, acostumei-me a estar sempre em atividade e tornou-se difícil o passar dos dias. Quando percebo é noite e não me sinto nada criativa e útil às pessoas e ao meu próprio se, sou exigente com meus comprometimentos no mundo, tenho certeza de que muito ainda há para ser feito, e nada está acabado, foram imensas transformações na minha vida, ninguém me pediu licença e tudo foi alterado desta forma, as pessoas que amava desapareceram da minha vida, foram retiradas da existência humana e hoje as cadeiras ficaram vazias!
Lembro-me quando a vida era muito corrida, muitas vezes saia de casa às 7horas da manhã e só retornava às 23 horas, pois meu dia era dividido em três etapas e ocupava funções muito diferentes, mas conseguia vencer a luta, nunca desisti por cansaço, sou bem teimosa por natureza, assim dizia meu pai!
Imaginei o momento da minha aposentadoria pública como uma grande mágica, que me faria sorrir de verdade, sonhamos muito quando não conhecemos a outra realidade.
Quando veio a tão sonhada hora de me afastar do ambiente de trabalho, que fazia parte de minha rotina há 30 anos, fiquei meio perplexa e sem ação, mas sorri bastante, despedi dos colegas, dei um passo fora do prédio e senti a liberdade me contagiar, mas não sabia o que estava programado para mim. Poucos meses depois, meu pai, que morava comigo há quase cinco anos, logo após a morte de minha mãe e por opção dele mesmo, foi ficando muito frágil, apresentando uma fibrose cística nos pulmões, que me entristecia muito, pois era um homem inteligente, dinâmico, trabalhava todos os dias com 86 anos, não conseguia viver se não fosse para o trabalho diariamente, era o alimento de sua alma. Talvez até pelo fato de encontrar com os amigos, conversar com jovens e almoçar sempre num clima de alegria, fazendo planos futuros, ele queria viver mais um pouco, era assim que ele me falava sempre!
Fiquei afastada de meus contatos, vivi exclusivamente para cuidar do meu pai, pois sempre foi meu amigo de verdade, mas infelizmente isso durou mais ou menos um ano, e fui obrigada a despedir dele para sempre.
Tentei retornar minha vida profissional, mas estava fraca emocionalmente, e acredito que nas entrevistas não tenha me saído muito bem. Dez meses depois, meu companheiro teve três isquemias e foi obrigado a fazer uma cirurgia no coração, que trouxe-me todo sofrimento de volta, pela incerteza do sucesso!
Há dias em que amanheço desanimada, pois amo minha profissão e tenho dificuldade em retornar, mas acredito que irei conseguir em breve, pois quem acredita sempre alcança!

Anúncios

2 Respostas to “Aposentadoria”

  1. Hélio Consolaro Março 31, 2013 às 10:04 pm #

    Não quero confortá-la em seu incômodo, mas não nos acostumamos também com as coisas ruins e depois achamos falta delas. Não tenha medo de ser uma escrava liberta. Bjs

    • eliane Junho 25, 2013 às 1:07 am #

      Amigo, obrigada!
      Já aprendi que precisamos esperar o momento certo…a hora certa….precisamos trabalhar nossa ansiedade e paciência.Quero mais é ser feliz e escrever todos os dias!Bjo grande!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: