O PODER E A QUALIDADE DE ENSINO

29 Set
A capacidade de ampliar o acesso ao ensino superior é um dos maiores desafios para as próximas décadas.O Brasil para chegar a índices internacionais, precisa correr. Um dos maiores  obstáculos é o alto  índice de evasão.

Muito se fala a respeito da expansão do ensino superior privado no país.

Um dos principais desafios é o de construir, a partir de bases atuais, uma sociedade com capacidade para inovar e enfrentar os problemas atuais e futuros.Para enfrentá-los, torna-se necessário a participação da sociedade, pois a possível redistribuição justa de oportunidades educacionais , deve ser a meta da política nacional de educação.

O MEC rompe com as diretrizes neoliberais ao defender um sistema nacional de educação superior, vinculando a “ missão da educação superior ao desenvolvimento da Nação”  e ao incorporar entre suas metas a de “redução das desigualdades regionais, sociais e étnico-culturais”.

O crescimento do ensino superior privado tem sido observado pelo crescente número de credenciamento de instituições de ensino superior-IES, privadas e pela quantidade de vagas ofertadas anualmente.

A sobrevivência das IES privadas, dadas as situações das vagas não preenchidas, exige uma atenção especial dos gestores educacionais na busca de alternativas para que a atividade educacional possa prosperar. Como a principal fonte de receitas das IES privadas é proveniente da cobrança de mensalidades, o não preenchimento dessas vagas pode comprometer o orçamento das IES.

O que nos preocupa é a qualidade do ensino aprendizagem e a responsabilidade na formação de seus egressos.

Há dez anos, o Brasil tinha cerca de 1% de sua população matriculada em cursos superiores.Hoje, aproximadamente 3% dos brasileiros estão matriculados no ensino superior.Chegaremos a 6% nos próximos dez anos, conforme a  comissão de educação da Câmara dos Deputados avalia a questão.

A comissão defende mudanças, o ensino superior privado deve ter uma   postura não de competição, mas de posicionamento.

“…  não devemos negociar com o governo mais vagas no PROUNI, trocando isso por isenções tributárias, o governo deve contribuir como se as Instituições fossem Públicas, pois desta forma as vagas ociosas nessas faculdades seriam aproveitadas”…

Em quase todos os países houve uma queda considerável nos investimentos públicos de educação superior, o que beneficiou, além de outros fatores, um grande avanço das iniciativas privadas.

Como o saber é desigualmente distribuído, o acesso às benesses da sociedade do conhecimento, e sobretudo à economia do conhecimento, é restrito a uma minoria dotada das condições e oportunidades de competir nos níveis locais e globais.

O estreito vínculo do conhecimento com a economia gera uma pesada tendência de comercialização e privatização da educação superior, que se manifesta na cultura empresarial, no aparecimento de novos provedores privados, na redução do estudante ao estatuto de cliente e consumidor, na diminuição dos financiamentos do  Estado, na lógica da competição.

A grande arte está em alimentar na universidade, ante as pressões do mercado, o sentido social que permite caracteriza-la como uma instituição voltada ao enriquecimento intelectual, moral e material da sociedade.

Precisamos lutar por um ensino de qualidade, com profissionais comprometidos que respeitem as diferenças sociais e econômicas de seus alunos, mas que os ensinem a irem muito mais além…que sejam eternos seres pensantes!!!!

Em suma, acreditamos em um Brasil mais justo, no ponto de vista sócio-cultural, e, acima de tudo, entendemos que nós, profissionais em educação, somos responsáveis pela qualidade dos conteúdos que aplicamos, na formação de pessoas engajadas com a política de educacional do país!

 

REFERÊNCIAS:

-Revista Ensino Superior-edições 115 e 116- Holanda, Juliana -Zangonel,Luiz

-Censo MEC e INEP- Loch, João Matias- Dálcio, Roberto

-Site MEC/INEP

Anúncios

Uma resposta to “O PODER E A QUALIDADE DE ENSINO”

  1. João Matias Loch Junho 17, 2013 às 11:43 pm #

    As suas observações e preocupações para com a expansão do ensino superior privado e a qualidade do ensino são pertinentes. Os gestores educacionais precisam preocupar-se mais com a formação dos profisisonais

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: